10 bandas que são tão brasileiras quanto você

O rock brasileiro nunca foi tão bem representado no cenário independentes como vem sendo nos últimos anos. Temos bandas surgindo com uma altíssima qualidade e originalidade, obtendo cada vez mais destaque em suas empreitadas internacionais.

Como exemplo, tivemos artistas ganhando prêmios no exterior, ocupando lugares em palcos importantes dos grandes festivais mundo afora, além também de turnês cada vez mais extensas e constantes por todos os cantos do planeta.

Apesar disso, ainda existe uma certa resistência por parte de algumas pessoas aceitar e valorizar artistas brasileiros que optem por não cantar em português. Isso é um tipo de comportamento que não tem coerência, já que muitas vezes, essas mesmas pessoas idolatram artistas internacionais que obviamente não cantam em português.

Pessoas, estamos em 2017. Vivemos em um mundo globalizado, onde a mistura de diversas culturas não só é aceitável, como é um oceano de possibilidades incríveis. Uma banda não é menos brasileira por cantar em inglês, francês, espanhol ou até se decidir que não haverá voz em suas músicas. A música que essas bandas produzem é SIM música brasileira, concebida em nosso solo, por pessoas que nasceram e vivem aqui.

Então que tal valorizar a música brasileira, independente da língua em ela se manifesta?Segue uma bela lista de 10 artistas que são tão brasileiros quanto Caetano, Titãs e Ivete.

Wannabe Jalva

Essa é uma banda formada no Rio Grande do Sul com uma pegada indie cheia de personalidade. Uma sonoridade introspectiva com arranjos bastante criativos, onde texturas e efeitos são muito bem explorados. Em seu currículo, tour nos Estados Unidos, duas aberturas para o Pearl Jam, além de shows no Lollapalooza e Planeta Atlântida.

Water and Man

A Water and Man é certamente um nome que não poderia ficar de fora dessa lista. Os caras tem um disco lançado e mostram personalidade e uma sonoridade muito bem definida. Sem medo de flertar com elementos eletrônicos para criar ambiências, a banda faz um indie de altíssimo nível, com delays, reverbs que criam a atmosfera perfeita para suas melodias.

Inky

O quarteto paulistano do Inky apresenta um som com fortes elementos da música eletrônica, abusando dos sintetizadores, pedais, que criam um contraste bem interessante quando somados ao som orgânico de uma bateria acústica. Essa banda possui uma performance ao vivo bem interessante, já que seu show mais parece uma jam de músicos muito bem entrosados.

Já passaram pelo Primavera Sound, grande festival que acontece em Barcelona, além de shows em Portugal. A banda também fez uma turnê latino-americana, tendo tocado no festival Primavera Fauna, no Chile.

Hover

De Petrópolis, na região Serrana do Rio de janeiro, o Hover tem um som pesado e melódico com elementos bastante interessantes. A formação da banda com três guitarras chama atenção e se justifica, devido ao grande volume de texturas, riffs, solos e temas de suas músicas. A banda possui um EP de 2014 e um disco chamado Never Trust The Weather, lançado em 2016.

Ego Kill Talent

Com uma ascensão exponencial, o Ego Kill Talent é uma das bandas brasileiras com maior potencial de decolar no exterior. Com apenas 4 anos de existência, a banda já tocou nos maiores festivais do país, e foi uma das revelações do Rock in Rio 2017.

Com músicos de peso e grande bagagem, os caras vêm fazendo um ótimo trabalho e mostram saber exatamente o que estão fazendo e onde querem chegar.

Far From Alaska

A banda de Natal é a que possui o currículo mais extenso no exterior graças ao seu som pesado com características tão próprias. O Far From Alaska (foto em destaque por Murilo Amâncio) ganhou um prêmio de artista revelação no Midem 2016, tocou no Main Stage do Download Festival de Paris, no SXSW e gravou seu mais novo álbum nos Estados Unidos sob a produção de Sylvia Massy.

Como se não bastasse, a banda também fez parte de praticamente todos os festivais grandes no Brasil, e se mostra cada vez mais pronta e madura para construir uma carreira sólida além das nossas fronteiras.

Fleeting Circus

A Fleeting Circus está prestes a lançar seu segundo disco de estúdio e faz um trabalho cada vez mais digno de ser confundido com o de uma baita banda gringa. Composições de alto nível, originalidade e uma pegada alternativa e experimental, que revelam influências desde o rock clássico, passando pelo grunge, alternativo até o post-rock.

Whipallas

Com um forte estilo indie dançante, o Whipallas é uma revelação recente do Rio de Janeiro. A banda traz um som interessante e uma veia alternativa em suas melodias.

ATR (Aeromoças e Tenistas Russas)

Formada em São Carlos, interior de São Paulo, o ATR (também conhecido como Aeromoças e Tenistas Russas) é uma banda instrumental com uma pegada bem interessante. Em seus trabalhos mais recentes, deram um passo maior em direção à música eletrônica. Passaram em 2017 também pelo lineup do Festival Primavera Sound em Barcelona.

Naked Girls and Aeroplanes

Com um clipe recém lançado de High Paradise, a o trio paranaense do Naked Girls and Aeroplanes vem mostrando um trabalho de qualidade, que vem chamando atenção e certamente poderia compor grandes festivais no exterior.

Conte pra gente qual banda você acha que poderia fazer parte dessa lista!

4 Comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published.